VEREADORES DE ARAXÁ PEDEM INFORMAÇÕES SOBRE A SEGURANÇA DAS BARRAGENS DA CBMM .

57

Os vereadores da Câmara Municipal de Araxá em comissão formadas por:
Raphael Rios Robson Magela, Fernanda Castelha e conheceram novos processos de segurança, tecnologias e ações preventivas adotadas pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), em relação às suas barragens, durante reunião na sede da empresa nesta quarta-feira (6). O encontro foi agendado após os três vereadores encaminharem ofício com questionamentos sobre as condições das barragens da companhia.

Os representantes do Legislativo se reuniram com o vice-presidente da CBMM, Ricardo Lima, o diretor industrial Rogério Contato, o engenheiro civil Marcos Antônio Lemos, o assessor técnico da diretoria industrial, Hernane Salles Moura, e o advogado Guilherme Augusto. O encontro foi acompanhado pela equipe de comunicação da empresa por meio de Tarcísio Cardoso e Karin Betz.

A CBMM conta com oito barragens, sendo uma para acumular água nova, três para contenção de sedimentos e as demais para disposição de rejeitos e resíduos. Um dos questionamentos apresentados pelos vereadores foi sobre a competência de fiscalização das barragens.

Segundo a empresa, o trabalho é feito pela Agência Nacional de Mineração (ANM), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), conforme estabelece a Lei Federal nº 12.334/2010.

A empresa relatou que também reporta informações a órgãos municipais como o Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Araxá (IPDSA), mesmo sem obrigação legal.

O engenheiro Marcos Antônio Lemos apresentou as características técnicas das barragens e explicou sobre processo de segurança para a construção das estruturas. As barragens são projetadas por empresas especializadas e passam por assessoramentos de níveis internacionais.

Sete das oito barragens foram construídas com o método “a jusante”, diferente do utilizado na barragem que se rompeu em Brumadinho. A Barragem 5 utiliza o método “a montante” apenas nos 10 metros finais da estrutura, enquanto os outros 75 metros são “a jusante”. A Barragem 5 teve todo seu reservatório impermeabilizado na parte superior e já se encontra em processo de descomissionamento (recuperação do solo e vegetação).

Os vereadores foram informados de que as análises técnicas das barragens são periódicas e realizadas tanto pela CBMM como com apoio de consultoria externa. O diretor industrial Rogério Contato destacou que a empresa já está em fase de implementação de novas tecnologias, com a utilização de dispositivos móveis e um Centro de Monitoramento Integrado. As barragens já contam com monitoramento via satélite, acompanhamento por drones e sistema automatizado que mede diversos níveis das estruturas.

Estudos da empresa apontam que em eventual rompimento das barragens não há riscos para a área industrial da CBMM e nem para o perímetro urbano de Araxá, pois o fluxo de água ou rejeitos seguiriam por áreas da zona rural.

A companhia informou ainda que o Plano de Segurança de Barragens (PSB) e o Plano de Ação de Emergência em Barragens (PAE) já estão implementados na empresa. Os vereadores também tiveram informações sobre responsáveis técnicos, protocolos e sistema de alerta.

Na próxima semana os vereadores Robson, Fernanda e Raphael visitarão a empresa Mosaic Fertilizantes dando sequência ao trabalho de fiscalização e levantamento de informações.