CBMM segue investindo para que seu programa de gestão de barragens continue transparente e seguro”.

76

Para atender os pedidos de entrevistas sobre as suas barragens feitos pela imprensa, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) emitiu comunicado na manhã desta quinta-feira, 31. A companhia destaca o contínuo monitoramento de todas as atividades da sua unidade e se solidariza com as vítimas e a comunidade da região de Brumadinho (MG) que foi gravemente atingida pelo rompimento de barragens no último dia 25. A companhia informa que possui oito barragens no município, sendo uma para acumulação de água nova, três para contenção de sedimentos e quatro para disposição de rejeitos e resíduos. “Estas barragens foram projetadas por empresas especializadas, seguindo as melhores práticas de engenharia e contaram com o assessoramento de profissionais especializados de atuação nacional e internacional”, destaca.

A CBMM cita que sete barragens foram projetadas e implementadas conforme o método a jusante e que a Barragem 5 foi a única em que o método a montante foi utilizado. De acordo com a companhia, a Barragem 5 possui 85 metros de altura e, dos quais, 75 foram construídos a jusante e os 10 metros finais a montante. “O seu reservatório encontra-se impermeabilizado na parte superior, evitando a entrada de água em seu corpo e a área está em processo de descomissionamento, ou seja, de recuperação do solo e vegetação”, informa. A CBMM acrescenta no comunicado que realiza verificações técnicas periódicas em suas barragens com o objetivo de garantir a segurança dos projetos, com o apoio de consultores externos. “Durante a fase de implantação das barragens, as obras são conduzidas por uma equipe técnica própria e por empresas capacitadas. Ainda assim, com o objetivo de maximizar a segurança das estruturas das barragens e garantir que as premissas dos projetos sejam atendidas, a empresa projetista mantém uma equipe técnica em campo.”

A companhia reitera que na fase de operação as barragens são permanentemente inspecionadas, monitoradas e passam por manutenções rotineiras – “visando garantir o desempenho esperado e as suas condições de segurança asseguradas”. Conforme as informações, o corpo técnico e a administração da CBMM atuam de forma contínua – “para garantir que as melhores práticas sejam atendidas, buscando assim a segurança e a mitigação dos riscos”. A CBMM também comunica que a Política Nacional de Segurança de Barragens exige a elaboração do Plano de Segurança de Barragens (PSB), incluindo o Plano de Ação de Emergência em Barragens (PAE). 

“Os PSB’s foram desenvolvidos e implementados para as barragens da CBMM. A legislação vigente exige a elaboração do estudo de ruptura hipotética que concluiu não haver riscos para a Área Industrial da CBMM e nem fluxo de água e/ou rejeitos no sentido de Araxá e demais cidades. Mais do que cumprir as legislações vigentes, a CBMM busca interagir de forma proativa com os órgãos, agentes públicos e membros da comunidade local para maior entendimento sobre as operações e medidas adotadas pela companhia na gestão de segurança de suas barragens”, diz a nota. Na oportunidade, a CBMM reforça o seu compromisso com a segurança de suas barragens, de seus colaboradores, da comunidade e do meio ambiente – “e segue investindo para que seu programa de gestão de barragens continue transparente e seguro”.